Você está aqui: Página Inicial / Sobre a Câmara / Notícias / Notícias de 2014 / Maio 2014 / Nenão sugere campanha educativa para proteger a saúde dos frentistas

Nenão sugere campanha educativa para proteger a saúde dos frentistas

por Marcos Matos publicado 07/05/2014 20h03, última modificação 19/05/2015 19h05
O presidente da Câmara Municipal, Newton Luiz de Oliveira (Nenão), sugeriu a realização de campanha educativa pelo poder público municipal com o intuito de conscientizar os consumidores e frentistas de postos de combustíveis sobre os riscos à saúde ocasionados pelo benzeno liberado no momento do abastecimento dos veículos.

A indicação foi aprovada na sessão da última segunda (05), após o vereador exibir um vídeo sobre esta campanha, que já está em vigor em quatro estados do país – Paraná, Santa Catarina, Bahia e Rio Grande do Sul. Nestas localidades, a iniciativa tem um nome sugestivo: “Não passe do limite. Complete o tanque só até o automático”.

Segundo Nenão, o principal objetivo é orientar frentistas, trabalhadores e população em geral sobre a importância de abastecer o tanque até o automático, pois esta ação reduz a exposição ao benzeno, substância cancerígena presente na gasolina e no álcool.

DSC_7917.JPGAlém de nocivo à saúde, o presidente do legislativo também fez um alerta em relação aos danos causados ao meio ambiente e aos veículos.

Quando se enche o tanque até a boca, o combustível pode derramar, contaminando o solo e o ar pela evaporação. Por outro lado, a prática pode originar falhas no motor e queima da bomba de combustível. É uma atitude simples, mas de grande importância para a sociedade”, enumera.

Para o desenvolvimento da campanha, o vereador recomenda que município distribua cartazes, panfletos e selos adesivos que incentivem o abastecimento moderado nos postos de combustível, postos da Polícia Rodoviária, unidades de saúde e demais locais. Outra ação proposta é que equipes da secretaria de saúde percorram os postos abordando os profissionais e consumidores sobre o perigo da exposição a este solvente tóxico.

Fonte: Glaucia C. Piovesan / Assessoria

    

Mídias Sociais