Você está aqui: Página Inicial / Sobre a Câmara / Notícias / Câmara reforça luta do SINSAP pela nomeação de novos policiais penais

Câmara reforça luta do SINSAP pela nomeação de novos policiais penais

por Marcos Santi publicado 28/07/2020 12h32, última modificação 28/07/2020 12h32

A Câmara de Vereadores de Nova Andradina reforçou a luta do Sindicato dos Servidores da Administração Penitenciária de Mato Grosso do Sul (SINSAP/MS) pela nomeação dos novos policiais penais e pela abertura de novo curso de formação.

A medida visa amenizar as condições do sistema penitenciário atual, em que os servidores são obrigados a lidar com a superlotação dos estabelecimentos, além da defasagem de funcionários, conforme apontado pela instituição em reunião no gabinete da Presidência.

Além dos sindicalistas, estiveram presentes no encontro o presidente da Câmara Municipal de Nova Andradina, vereador Amarelinho, e os vereadores João Dan, Ricardo Lima e Robertinho Pereira.

Na ocasião, o presidente do SINSAP/MS, André Luiz Santiago, citou orientação do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária em que se recomenda, para a segurança dos presídios e servidores, que o sistema carcerário conte com um agente para cada cinco detentos.

“Uma realidade muito distante em Mato Grosso do Sul, onde há um déficit de aproximadamente 8 mil servidores. Atualmente, Mato Grosso do Sul conta com apenas 1,7 mil agentes penitenciários. O SINSAP/MS busca trabalhar para aumentar o efetivo”, destacou o dirigente.

De acordo com ele, cerca de 250 alunos que já passaram pelo curso de formação estão apenas aguardando a nomeação para Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário. Além disso, mais de 400 remanescentes que já passaram por todas as etapas estão aguardando o curso de formação. O concurso público é válido até março de 2021.

“O SINSAP/MS aponta a necessidade de que todos os 250 formados sejam nomeados para suprir a demanda de aumento no efetivo devido aos novos presídios inaugurados, além das vagas deixadas por servidores que se aposentaram ou estão afastados por conta do COVID-19”, acrescentou o Santiago.

    

Mídias Sociais